Você está preparado para o fim das senhas?

Elas não fazem mais o menor sentido. Existem soluções mais práticas e seguras, como a biometria facial que pode ser aplicada também para autenticação de transações recorrentes

Em 1961, um professor de ciência da computação do MIT chamado Fernando Corbató desenvolveu o primeiro sistema de login e senha digital. Corby, como era conhecido pelos colegas, havia construído um computador de uso compartilhado e precisava garantir o acesso a cada um dos usuários, de forma segura, e implementou uma solução que se tornaria padrão para o uso de dispositivos eletrônicos desde então.


Passaram-se seis décadas, e a invenção revolucionária do professor cumpriu sua missão e pode ser substituída. Num cenário em que toda a vida pessoal, profissional e financeira das pessoas está concentrada em computadores e smartphones, os usuários encaram, diariamente, um dilema: senhas fáceis de memorizar são igualmente acessíveis para criminosos. E senhas difíceis não são memorizáveis, o que gera a rotina de anotá-las – uma prática que enfraquece a segurança.


“Login e senha são tecnologias ultrapassadas. Elas não são muito seguras e dão muito trabalho para as pessoas. É preciso lembrar das senhas e trocá-las de tempos em tempos”, avalia Rafael Coimbra, editor-executivo da MIT Technology Review Brasil, diretor do TEC.Institute e professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV).


“Na prática, as pessoas acabam usando as mesmas senhas para todas as contas e, para não esquecerem, usam nomes e datas simples ou relacionados a informações pessoais. Isso é um prato cheio para os criminosos”, prossegue, lembrando que existe um esforço das grandes empresas de tecnologia para colocar fim ao login e senha, com validação por dispositivo.


A boa notícia é que a tecnologia para acesso digital com segurança avançou. E já existem opções muito mais seguras e fáceis de acessar. Isso porque elas estão apoiadas no corpo humano.


A biometria facial como uma opção segura


O especialista da MIT Technology Review Brasil lembra que existem três funções básicas de proteção: o que a pessoa sabe, o que ela tem e o que ela é. “Senhas só respondem ao primeiro quesito. Cartões de crédito, smartphones ou tokens, por exemplo, preenchem a segunda categoria. E biometria, a terceira”.


Em outras palavras, chega de confiar em aparelhos: a segurança real é o corpo humano, mais especificamente o rosto. Ele permite que as pessoas tenham uma melhor experiência para adquirir produtos e serviços, sem fricções para recuperação de acesso ou troca de dispositivo, por exemplo. “A biometria facial permite a máxima assertividade no bloqueio das fraudes, com a menor fricção paro usuário”, explica Maria Carolina Moretto, especialista em marketing de produto da idtech brasileira Unico.


“A Unico tem como propósito descomplicar processos de autenticação de identidade a partir da biometria facial. Com apenas uma foto, uma pessoa pode provar que ela é quem diz ser, sem precisar de senhas, chaves ou cartões”, ela explica.


O serviço começa pela captura do número do documento e foto, que pode ser uma selfie feita com o próprio celular, e parte para a validação desses dados junto às plataformas biométricas da Unico, que autentica a identidade do indivíduo . A partir dessa autenticação, processos rotineiros, como o acesso a serviços bancários e a realização de compras no varejo, além da formalização de processos formais e legais, passam a se tornar mais simples e seguros e há apenas uma selfie de distância.


Segurança e proteção de dados


Para os próximos anos, o céu é o limite, prevê Coimbra. “No futuro será preciso combinar diversos elementos biométricos como rosto, impressão digital, voz e até o jeito de andar. Se esse for o caminho, as empresas vão precisar reforçar os mecanismos de proteção de dados dos consumidores”.


Mas, a preocupação com a proteção de dados já deve estar na agenda das empresas desde já. “A privacidade das pessoas e a segurança de seus dados pessoais, são premissas para o desenvolvimento de produtos dentro da Unico. Por isso, temos equipes especialistas olhando para o tema em cada uma das etapas de desenvolvimento da tecnologia”, finaliza Moretto.


Por: G.LAB

Fonte: https://epocanegocios.globo.com/Conteudo-de-marca/Unico/noticia/2022/07/voce-esta-preparado-para-o-fim-das-senhas.html?utm_medium=email&_hsmi=219783505&_hsenc=p2ANqtz-8WRw3llM4kEucR3FU8wlh79NKNgkHrIr32yUtc5LxW-tzR5MowPNSG_2yprBluJNet98ZOkaRo4c6M1aaB8zR1COU9KyK08eIYAtZ3ybORUoZ8uuM&utm_content=219783505&utm_source=hs_email




2 visualizações0 comentário